terça-feira, 5 de abril de 2011

Onde iremos parar?... Desabafo de um Dentista Brasileiro.

Doutores, meu nome é Daniel, sou dentista e sempre escrevos artigos para tentar transmitir alguns conhecimentos de Marketing, Gestão e Ética para os meus colegas de profissão.

Sendo Diretor de um curso de Marketing em Odontologia, o meu papel sempre foi mostrar coisas boas da Odonto, mostrar ferramentas que façam aumentar o fluxo de pacientes e facilitem o dia a dia do Dentista, mas acho que nesse momento me cabe ser mais realista, e deixar um pouco o meu lado Dentista Brasileiro falar mais alto.

Como tudo muda, nossa profissão mudou, nossos pacientes mudaram mas, continuamos vendo profissionais com a mesma mentalidade e visão que se tinha a 30 anos atrás e o pior que, poucos colegas depois de formados enxergam isso e tentam fazer algo para mudar.

Vejo colegas de profissão se tratando como inimigos, enfrentando uns aos outros como se estivessem em um campo de batalha, onde matar ou morrer fossem as únicas coisas a serem feitas.

A Odontologia está se comportando como o mercado varejista se comporta, onde ganha aquele que oferecer o melhor preço.

Até quando veremos colegas se matando para ver quem oferece o menor preço?
Será que chegaremos ao ponto de ter que PAGAR para um paciente entrar em nosso consultório?

Onde está o valor do tratamento odontológico, e o VALOR da nossa profissão por onde anda?

Hoje eu estou aqui para desabafar!
Semana passada, participei de uma reunião com a equipe de Dentistas de uma Prefeitura, que não quero citar o nome por motivos éticos.

Fiquei duplamente indignado, uma por ser Dentista, outra por estar terminando um MBA em Gestão e Marketing e ter escutado o que escutei, tendo em vista que, o tema da minha monografia do MBA é justamente o mercado odontológico.

Pois bem, vamos ao fato.
Os Dentistas da Prefeitura em questão foram chamados para, serem informados que a partir daquela data eles iriam ter que cumprir 8 horas diárias de trabalho e não mais 6 horas como faziam. O salário continuaria os mesmos R$ 1.785,00 que já recebem desde 2008.

Uma Dentista indignada pediu a palavra e falou em prantos ao Subsecretário de saúde que lá se encontrava: "Tenho quase 50 anos de idade e mais de 25 anos de profissão, trabalho em outros lugares para complementar minha renda, tenho 2 filhos, onde um é universitário, como o senhor quer que eu sustente meus filhos ganhando R$ 1.785,00 por mês? Os médicos dessa prefeitura ganham 4 vezes mais que isso e só trabalham 4 horas por dia e têm direito a um Day Off, o senhor conseguiria sustentar a sua família com o salário que eu ganho aqui?"...

Para a minha indignação o Subsecretário de saúde responde a ela:
"Não conseguiria de jeito nenhum manter minha família com esse salário e em relação aos médicos eles irão continuar como estão, pois o que a senhora não entende é que isto é uma questão mercadológica. Hoje eu tenho uma pilha de currículos de Dentistas que trabalhariam pela metade do que a senhora ganha, a culpa não é da nossa Prefeitura nem minha, mas sim do mercado e aliás, essa é uma exigência do Ministério da Saúde, se eles só pressionam os dentistas eu não posso fazer nada, não quero entrar aqui em questão filosófica e utópica, vim aqui para ser realista e passar o recado a vocês, não tenho culpa disso"...

E assim continuou o ensejo sobre os Dentistas que ali se encontravam. Eu tenho certeza que coisas assim acontecem aos montes por aí, mas essa eu presenciei e não poderia deixar de demonstrar aqui toda a minha indignação.

Isso é um reflexo de tudo que ocorre dentro da odontologia, até quando deixaremos isso acontecer?

Onde iremos parar?

O pior de tudo é o sentimento de impotência diante de tudo isso, não estou julgando a atitude da Prefeitura, só estou perplexo ao observar o caminho que a Odontologia está tomando.

Me desculpem pelo desabafo,... mas seria covardia ficar calado,... tenho que ir,... amanhã o dia será, longo!!

Um abraço a todos os meus leitores!!!


Os fatos reais da vida não têm valor para um artista, são simplesmente inspirações, mas sem esses fatos não haveria arte!
Daniel Rubens Tressoldi

Nenhum comentário:

Postar um comentário