segunda-feira, 9 de maio de 2011

Cuidando da Lucratividade - Parte I

Vamos trazer para os leitores do nosso blog, dicas de como os profissionais devem cuidar para não perder no lucro. Nesta primeira parte vamos falar de descontos. Continue lendo nosso blog e não perca as outras dicas.

Desconto x Lucro
Muitos Dentistas acreditam que dando desconto, ampliando o prazo de pagamento e oferecendo vários outros benefícios aos seus pacientes aumentará o lucro. Cuidado, você pode estar cometendo um erro que pode te levar a sérias dificuldades financeiras.

Temos que fazer com que o dinheiro trabalhe por nós, que o consultório ande com suas próprias pernas. No começo de um empreendimento é sempre necessário dar um empurrãozinho, mais depois, ela tem que ter sua rentabilidade e lhe dar retorno, além de devolver o que você investiu....

Mas para isso é preciso ter em mente que apenas com o lucro você conseguirá tudo isso. Muitos podem pensar: “Se eu não der um desconto eu perco o cliente”, mas não é bem assim que as coisas funcionam. Se você não tiver lucro, seu cliente também não terá o serviço. Pense nisso.

De que adianta fazer milhares de tratamentos se não está te dando lucro, ao contrário, apenas prejuízo. Isso acaba virando uma bola de neve e cada vez as coisas vão ficando piores.

Se para fechar os tratamentos você precisa dar descontos aos seus pacientes então repense seu atendimento. Pode ser que a falha esteja ai. A tendência é o crescimento, de uma empresa de grande porte seja de 5 a 10% ao ano. No caso de prestação de serviços é necessário que se tenha um aumento de mais de 40%. Por isso, prejuízo, nem pensar o negócio tem que correr atrás da lucratividade.

Vamos falar em descontos, de acordo com Roberto Assef, diretor da Lucre Consultoria em Lucratividade e professor dos cursos de pós-graduação em gestão empresarial e marketing no IBMEC e FGV, muitos empresários acham que 10% de desconto é pouco e não interferem no lucro.

Vamos analisar a seguinte situação. Um vendedor de material odontológico realiza 10 vendas de R$100,00 e dá 10% de desconto para cada cliente. Em um dia ele faturaria R$1000,00, descontando mão de obra, transporte, imposto, enfim, no final de tudo isso ele teria um valor X, menos R$100,00, que seria parte do seu lucro que acabou indo para o cliente em forma de desconto.

Há casos que o desconto é necessário, dependendo da estratégia da empresa. Por exemplo: "quando há muitos concorrentes e o objetivo é ganhar fatia de mercado”, explicou Roberto. Acrescentando que para dar um desconto é necessário ter uma boa estratégia traçada, para que não ocorram prejuízos.

Para ter a mesma margem de lucro que você teria se não desse os descontos é preciso trabalhar mais do que o dobro. E muitas vezes não se consegue alcançar, pois sempre leve em conta os seus gastos.

“Se optar por dar desconto, preste atenção em quanto os seus procedimentos precisam aumentar para justifica-lo. Lembre-se, as vezes vale mais a pena realizar menos procedimentos, com mais lucro, do que muitos procedimentos, com menos lucro”, aconselhou Assef.

Em nosso próximo artigo abordaremos como aumentar os seus tratamentos sem prejuízo.

Boa semana!!

Por: Luciana Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário