quinta-feira, 19 de maio de 2011

Cuidando da Lucratividade - Parte II

Nesta segunda parte falaremos a respeito de como você pode aumentar a quantidade de tratamento, sem precisar dar descontos e, com isso não correr o risco de ficar no prejuízo.

Lucro x Crescimento
Você concorda com a seguinte afirmação: “O crescimento nas vendas é igual ao crescimento do lucro”. Esta afirmação não é tão verdadeira quanto imaginamos, pois para que haja aumento nas vendas é necessário mais investimento, não apenas de material, mas também de mão de obra, que faça sua mercadoria circular. Na Odontologia não é diferente!

Para aumentar o número de paciente é necessário ter um certo critério. Crescer é o desejo de todos os Profissionais e Empresários, porém, este crescimento não pode ir contra você. De acordo com o professor da Universidade Federal da Bahia e autor do livro “Administração de custos, preços e lucros”, Adriano Leal Bruni quando há um crescimento sem o devido controle a consequência é clara, vendas maiores, lucros menores.

“É preciso planejar e ter controle, acompanhando com rédeas curtas os gastos associado ao crescimento”, falou Adriano.

Acredito que não tenha como você aumentar a sua produção sem aumentar, nem que seja um pouco, a margem de lucro. Mas também não pode exagerar, querer que seus pacientes paguem pelo seu crescimento. Se você tentar repassar estes valores para o seu paciente, com certeza ele pensará duas vezes para retornar e concluir o tratamento, o bom senso é fundamental.

Fechar tratamentos a qualquer custo não pode ser uma regra na área da Odontologia. Com isso você acaba metendo os pés pelas mãos e ficando no prejuízo. Como falamos no artigo anterior, dar descontos pode aumentar as "vendas" significativamente, mas também pode lhe gerar um prejuízo que talvez você nunca consiga resolver.

Outro ponto que impede o aumento do lucro são os maus pagantes. Uns acabam pagando pelos outros. Vou explicar melhor. Aquele seu paciente que paga, te gera lucro, a consequência disso é que este lucro entrará como “pagamento” daqueles que não pagam em dia, ou seja, você não teve lucro algum.

Ter uma boa demanda é a regra principal, mas as armadilhas sempre aparecerão, apenas com o tempo, bom senso, ética e planejamento você saberá lidar com isso.

No próximo artigo abordaremos como você pode reduzir os custos e as despesas. Não perca.

Boas sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário